22 de agosto de 2016

O Problema da Meritocracia

A Meritocracia é a palavra de ordem nos dias de hoje, principalmente entre políticos e formadores de opinião evangélicos (e, hoje, está cada vez mais difícil associar o termo "evangélico" ao termo "cristão"), mas eu não acredito na meritocracia por duas simples razões: a primeira é porque não passa de uma utopia, principalmente dentro do capitalismo; a segunda razão é porque a meritocracia é uma ideia claramente anticristã, apesar de defendida por pessoas que dizem seguir a Bíblia.

É uma utopia porque nem todos que se esforçam alcançam méritos pelo que fazem. Para cada Joaquim Barbosa que nasceu negro e pobre para se esforçar e chegar a uma posição de destaque, há milhares de outros negros e pobres que se esforçam, até mais do que ele, sem conseguir alcançar seus objetivos, olhando de longe pessoas menos capacitadas do que eles indo mais longe em suas carreiras e vida financeira. Uma dona de casa que abre mão da sua vida para formar filhos melhores - um dos maiores bens que uma sociedade pode ter - não são reconhecidas pela sociedade como pessoas producentes, não recebem mérito financeiro por isso e são até rotuladas como retrógradas ou ultrapassadas. Em nossa sociedade, a meritocracia é uma grande mentira.

Mas a meritocracia também é uma ideia antibíblica e anticristã. Na verdade, me espanta que tantos evangélicos - que se dizem leitores da Bíblia - defendê-la. Deus não trata ninguém pela ótica da meritocracia. NINGUÉM! Ele faz o sol e a chuva beneficiarem a todos (Mateus 5.45) e Jesus nos contou uma parábola sobre trabalhadores que fizeram jornadas diferentes mas receberam o mesmo (Mateus 20) para ilustrar como será o Reino de Deus. A meritocracia nos afasta de Cristo e nos aproxima do que Ele mais combatia: o julgamento e a opressão. Perante Deus, somos todos iguais e livres.

Recomendo que iniciemos uma agapecracia - fazer tudo pelo amor. O amor se dedica, não tem preguiça, observa as coisas boas, não é orgulhoso e tudo o mais conforme 1 Coríntios 13. Somente o amor pode fazer deste mundo um lugar melhor.

"Dizeis com frequência: Darei, mas apenas aos que merecem. As árvores do vosso pomar não dizem isso, nem os rebanhos em vossas pastagens. Eles dão para viver, pois guardar é perecer. Observai primeiro se vós mesmos mereceis ser um doador, e um instrumento de doar." - Khalil Gibran

29 de julho de 2016

100 Conselhos Sábios


Um professor de economia do ensino médio costumava imprimir uma lista de 100 conselhos e distribuía para seus alunos antes de partirem para a faculdade. As palavras eram estas:


  1. Existem várias maneiras de se entrar em uma piscina. A escadinha não é uma delas.
  2. Nunca cancele um jantar romântico por mensagem de texto.
  3. Não peça ajuda antes de ter tentado.
  4. Se um artista de rua fez você parar de caminhar para observar, você deve uma gorjeta a ele.
  5. Quando se referir ao seu time do coração ou ao governo no qual votou, utilize o pronome "nós".
  6. Se lhe confiarem um segredo, mantenha-o consigo.
  7. Nunca subestime algo só porque é grátis.
  8. O fato de você poder fazer algo não significa que deve ser feito.
  9. Procure não ficar para baixo por qualquer coisa.
  10. Lembre-se que um novo corte de cabelo precisa ficar bom de primeira, não há outra chance.
  11. Se você vai passar mais do que uma noite num local, leve bagagem.
  12. Nunca estacione em frente a um bar.
  13. Sempre tenha a expectativa de que o assento à sua frente vai ser reclinado e prepare-se para isso.
  14. Sempre tenha uma foto de seu primeiro peixe, seu primeiro carro e seu/sua primeiro/a namorado/a.
  15. Sempre mencione as pessoas que foram sua referência de vida.
  16. Um bom bronzeado se consegue, não se compra.
  17. Nunca minta para seu médico.
  18. Todas as armas estão sempre carregadas.
  19. Evite queimaduras de sol.
  20. A melhor maneira de agradecer por algo é usar o presente. Mesmo que seja uma única vez.
  21. Tire um tempo para ficar longe do celular, da internet e da TV ao menos uma vez ao ano.
  22. Não coma muito pão, mesmo que seja gostoso demais.
  23. Um aperto de mão é melhor que um autógrafo.
  24. Não fique parado na porta.
  25. Se você entrar em algo por alguém, não deixe a pessoa na mão.
  26. Se você quiser saber o que é único na sua aparência, peça a um desenhista para fazer uma caricatura sua.
  27. Nunca corte o cabelo no dia de um evento especial.
  28. Tenha em mente que tudo o que está entre você e o restante do mundo precisa ser de primeira qualidade. Sempre compre bons sapatos, bons pneus e bons lençóis.
  29. Se puder evitar, nunca almoce na mesa do escritório.
  30. Quando estiver com amigos que conheceu a pouco tempo, não fique falando dos seus amigos antigos.
  31. Almoce com crianças ao redor.
  32. Quando estiver viajando, não deixe sua inteligência em casa.
  33. Nunca é tarde para pedir desculpas.
  34. Nunca tire fotos com bebidas na mão.
  35. Se tiver certeza de qual é o caminho a se tomar, tome-o.
  36. Nunca coloque um apelido em si mesmo.
  37. Quando for se casar, lembre-se que se casará com a família toda.
  38. Nunca empurre alguém na água.
  39. Sob nenhuma circunstância pergunte a uma mulher se ela está grávida.
  40. Mantenha contato com seus pais, avós, bisavós, tataravós...
  41. Não faça uma cena desagradável.
  42. Ao fazer um agradecimento em público, seja agradável e breve. É sempre melhor.
  43. Saiba quando ignorar uma câmera.
  44. Nunca conte vantagem de si mesmo.
  45. Invista em malas boas.
  46. Passe tempo com sua mãe durante o seu aniversário. É um dia especial para ela também.
  47. Quando for abrir um presente, lembre-se que a pessoa espera surpreender você.
  48. Simpatia precisa ser sincera. Nunca finja simpatia.
  49. Sempre dê o crédito por aquilo que está citando.
  50. Procure absorver coisas boas ao seu redor.
  51. Nunca seja a última pessoa a sair de uma piscina.
  52. Não fique olhando fixamente para uma pessoa.
  53. Trate bem as pessoas que tem como profissão proteger você.
  54. Enfrente quem se acha o valentão. Você só precisa fazer isso uma vez.
  55. Se você chegou onde queria, pare de falar.
  56. Admita seus erros.
  57. Se você se ofereceu para ajudar, não vá embora antes do serviço acabar.
  58. Quando agradecer alguém, olhe nos seus olhos.
  59. Sempre agradeça o motorista do ônibus.
  60. Nunca atenda o telefone quando estiver jantando com outras pessoas.
  61. Perdoe-se pelos seus erros.
  62. Saiba, pelo menos, uma piada boa.
  63. Não fique assustando as pessoas.
  64. Saiba cozinhar, pelo menos, uma receita boa.
  65. Aprenda a passar as marchas do carro com suavidade.
  66. Seja legal com crianças. Reputação é construída durante a vida.
  67. Não tem problema nenhum ir ao cinema sozinho.
  68. Tire sua mãe ou seu pai para dançar.
  69. Não perca o humor. Especialmente no trabalho.
  70. Sempre agradeça ao anfitrião.
  71. Se você não entendeu alguma coisa, pergunte antes que seja tarde.
  72. Saiba o tamanho de roupa que seu namorado/a usa.
  73. Não há nada errado em usar uma camiseta sem estampa.
  74. Seja bom ouvinte. Não fique interrompendo uma conversa.
  75. Mantenha sua palavra.
  76. Na faculdade, procure se sentar na frente. Você vai se destacar e isso pode ser útil no futuro.
  77. Nunca deixe sua mãe carregar as sacolas e/ou malas. Ela já te carregou por nove meses.
  78. Seja paciente com os seguranças de um aeroporto. Eles estão fazendo o trabalho confiado a eles.
  79. Durante um filme, não fique falando.
  80. As pessoas do sexo oposto gostam de quem toma banho.
  81. Você é o que você faz. Não o que você diz.
  82. Saiba trocar um pneu furado.
  83. Seja gentil.
  84. Uma hora passada com seus avós é um tempo bem investido. Aproveite e peça conselhos.
  85. Não bagunce as coisas.
  86. Se você tem uma irmã, saiba que sua opinião a respeito do namorado dela é importante.
  87. Você pode não ser o mais forte ou o mais rápido. Mas você precisa ser o mais persistente.
  88. Nunca telefone para alguém antes das 8:00 ou depois das 22:00h.
  89. Compre as propriedades cor de laranja no Banco Imobiliário.
  90. Aproveite as pequenas coisas e faça valer a pena.
  91. Nunca vá trabalhar sem usar um sutiã (para mulheres, claro).
  92. Há uma tênue linha entre ser sensual e ser vulgar.
  93. Você nunca está muito velho para precisar da sua mãe.
  94. Meninas, se decidirem usar salto alto, procurem saber onde vão e se seus pés vão aguentar.
  95. Saiba cantar o hino nacional.
  96. Você pode não saber dançar, mas eu garanto que dançar de modo divertido é melhor do que ficar sozinho na mesa.
  97. Sorria para estranhos.
  98. Tenha objetivos na vida.
  99. Envelhecer não significa dormir mais.
  100. Se estiver numa briga, dê o primeiro soco e com muita força.

24 de julho de 2016

A Igreja de Diótrefes



Escrevi à igreja, mas Diótrefes, que gosta muito de ser o mais importante entre eles, não nos recebe. Portanto, se eu for, chamarei a atenção dele para o que está fazendo com suas palavras maldosas contra nós. Não satisfeito com isso, ele se recusa a receber os irmãos, impede os que desejam recebê-los e os expulsa da igreja. Amado, não imite o que é mau, mas sim o que é bom. Aquele que faz o bem é de Deus; aquele que faz o mal não viu a Deus. 3 João 1:9-11

O Novo Testamento nos traz algumas figuras do que a Igreja se tornou ainda no primeiro século da era cristã. Os ataques externos eram sentidos, porém não mais do que os ataques internos. Paulo, Pedro, Tiago e João escreveram contra pessoas que tentavam se apossar da Igreja como sua propriedade e, portanto, devendo ser controladas de acordo com sua vontade. Acontece que a Igreja já tem dono. Impôr vontades humanas em uma Igreja é pecado como qualquer outro.

Diótrefes incorreu neste erro. Como o texto não fala muito sobre ele, não sabemos se o fez por zelo, por necessidade ou por má-fé. De qualquer maneira, incorreu em pecado e precisou ser exortado pelo apóstolo João. Quais são as características destes "donos de igrejas" que pretendem tornar suas próprias palavras em dogmas de fé? A Igreja liderada por Diótrefes nos fornece luz.
  1. Estes líderes procuram ser os mais importantes dentre todos. Em igrejas assim, os pastores e líderes se julgam mais importantes que os membros, que os outros pastores e, talvez, até mais importantes que Jesus Cristo. Geralmente suas fotos e nomes estão nas fachadas dos templos.
  2. Estes líderes não recebem repreensão. Hoje já temos uma igreja cujo líder amaldiçoa quem se colocar contra o que é ensinado. Como Diótrefes, que não recebia as palavras de João, também recusam a exortação e a repreensão pelo que fazem de errado.
  3. Estes líderes referem-se aos outros com malícia e maldade. Há sempre uma ironia aqui, uma casca de banana ali. Na falta de coragem de falar diretamente a quem precisa ser dito, com amor, ou mesmo na falta de argumentos, as indiretas são utilizadas.
  4. Estes líderes selecionam as pessoas que devem fazer parte da Igreja. Não há ser humano no mundo a quem caiba a prerrogativa de selecionar quem deve ou não deve participar de uma Igreja. Todos são bem vindos. Os que tem a vida mais esfacelada tem prioridade de atendimento e cuidado. Os desobedientes serão tratados com amor mas com dureza. Rotular e selecionar pessoas é uma conduta cruel que muitas Igrejas tem tomado.
Por fim, João mostra a Gaio (o destinatário da carta) que a evidência de um encontro com Deus é a prática da bondade. Líderes que se encontraram com Deus praticam o bem. Mesmo quando estão disciplinando, exortando, chamando a atenção. A bondade pode ser vista em seus olhos.

Por mais líderes que se encontraram com Deus. Por menos líderes como Diótrefes. Esta é minha oração.

9 de julho de 2016

Livro de Jonas






1. LIVRO DE JONAS 10 de julho de 2016 Igreja Batista Betel – Franca, SP Rogério Nunes de Lima
2. Tema e Texto Tema do Livro A Compaixão de Deus Texto Principal Mas eu, com um cântico de gratidão, oferecerei sacrifício a ti. O que eu prometi cumprirei totalmente. A salvação vem do Senhor". Jonas 2:9
3. Período Vida de Jonas Conforme 2 Reis 14:25, Jonas viveu durante o reinado de Jeroboão II (793-753 aC). Era um profeta nacionalista e anunciou a expansão territorial de Israel. Os reis assírios nesta época foram Salmanasser IV, Assurdan III e Assur-Nirari V.
4. Período Livro de Jonas O livro foi escrito em cerca de 300-200 aC por autor desconhecido. A cópia mais antiga é de 133 dC, um dos manuscritos do Mar Morto. Utilização de palavras incomuns para a época em que viveu, como “navio”, por exemplo.
5. História ou Ficção? Para sustentar o ensino principal do livro, não seria necessário inventar um conto assim. Portanto, o que se conta sobre Jonas deve ter acontecido literalmente. Uma pessoa poderia sobreviver por um tempo em uma baleia, porém a chance seria mínima. A pessoa teria que escapar da mordida e passar por uma garganta muito fina, além de não ser dissolvida pelo suco gástrico da baleia.
6. História ou Ficção? Há um relato sobre um marinheiro chamado James Bartley, inglês, que em 1891 sobreviveu dentro de uma baleia por 15 horas. Após várias pesquisas, descobriu-se que tudo não passava de lenda urbana para promover a pesca da baleia. Se aconteceu a Jonas, foi um milagre, algo sobrenatural. Não há provas científicas de que isso é possível.
7. Estrutura do Livro Capítulo Personalidade de Jonas Ações de Jonas 1 DESOBEDIÊNCIA Fuga para Társis 2 Dentro do Peixe 3 OBEDIÊNCIA Profecia em Nínive 4 Sob a Planta
8. Chamado e Fuga Chamado específico (1.2)  Levantar-se – ir depressa  Local: Nínive, Assíria  Pregar contra a cidade  Pecado: maldade / malícia
9. Chamado e Fuga Nascimento: Gate-Hefer, Palestina Chamado: Nínive, Assíria (atual Iraque) Porto de Embarque: Jope, Palestina Porto de Destino: Társis, atual Espanha
10. Chamado e Fuga
11. Chamado e Fuga Detalhes da Tempestade (1.4-6)  Barco ameaçava “partir-se, arrebentar-se” A decadência de Jonas  Desceu a Jope (1.3)  Desceu ao porão do navio (1.5)  Desceu ao mar (1.17)
12. Chamado e Fuga Teologia e culto pagãos  O capitão do navio cria na onipresença de Deus mais do que o profeta (1.6)  O sorteio místico caiu sobre Jonas (1.7)  Homens com temor do Senhor (1.10)  Fé na justiça e soberania de Deus (1.14)
13. Chamado e Fuga Teologia e soluções de Jonas  Sabia ser impossível fugir de Deus (1.9)  Sabia estar em pecado (1.12) Soluções humanas  Remar (1.13) – utilizar os próprios recursos  Ouviram o conselho de Jonas (1.15)  Converteram-se ao Senhor (1.16)
14. Chamado e Fuga Deus demonstra misericórdia (1.15 e 17)  Quanto tempo se passou entre os versículos 15 e 17?  Para os marinheiros, ser jogado ao mar era morte certa  Peixe ou baleia? Naquele tempo não havia a classificação dos animais como temos hoje
15. Nas Entranhas do Peixe No ventre do peixe, Jonas ora ao Senhor citando alguns salmos  Salmos 18:6; 130:1-2; 30:3. Pontos a considerar  O texto chama o Senhor de “Deus de Jonas” (2.1)  Não se sabe onde Jonas foi vomitado (2.10)
16. Pregação em Nínive Deus repete o chamado em 3:2 Nínive tinha qual tamanho? (3:3) Para percorrer em 3 dias, era necessário ter 100 km de diâmetro. Duas possibilidades: 1 – Era necessário pregar por 3 dias para atingir todas as regiões da cidade 2 – Era uma região metropolitana com várias cidades satélite
17. Título
18. Título Texto
19. Cidade de Mosul, Iraque – local da antiga Nínive
20. Pregação em Nínive Arrependimento de Nínive  Aspecto exterior (3.5)  Aspecto individual (3.6)  Aspecto coletivo (3.7)  Aspecto interior (3.8)
21. A Ética de Jonas Enfureceu-se por conta da graça de Deus (4.1) Colocou a culpa em Deus e Sua compaixão (4.2) Frustrou-se a ponto de desejar a morte (4.3) A pergunta do Senhor a Jonas: Há razão para esta fúria? (4.4)
22. A Ética de Jonas Jonas constrói um abrigo para si – episódio da trepadeira que cresce sobre o local (4.5-8) Enfureceu-se por conta da disciplina (4.8) Colocou novamente a culpa em Deus Frustrou-se a ponto de querer morrer Novamente Deus pergunta (4.9) Deus demonstra a seletividade de Jonas (4.10-11)

3 de julho de 2016

18 Hábitos de Mentalidades Vencedoras





18 Coisas que pessoas com uma Mentalidade Vencedora sempre fazem 
rogerionunes.net

2. 1 Seguem em Frente Não passam tempo se lamentando
3. 2 Mantém o Controle Não deixam suas forças se esvaírem
4. 3 Aceitam Mudanças Desafios são sempre bem vindos
5. 4 Procuram Ser Felizes Evitam coisas e atividades que lhe tragam infelicidade
6. 5 São Gentis Não se preocupam com o status da pessoa com quem estão travando uma conversa
7. 6 Arriscam Calculam riscos e benefícios para tomar decisões
8. 7 Vivem o Presente Deixam o passado para trás
9. 8 Responsabilizam-se Por Seus Erros Não culpam outros e procuram não repetir erros cometidos
10. 9 Celebram o Sucesso dos Outros Sem ressentimentos
11. 10 Conhecem suas Limitações Nunca desistem e enxergam as falhas como oportunidades de aprendizado
12. 11 Passam Tempo Sozinhos Não tem medo de si mesmos e não consideram sua companhia enfadonha
13. 12 Procuram o Sucesso por Seus Próprios Esforços Entendem que o mundo não lhes deve nada e não esperam que outros façam por eles
14. 13 Semeiam Também praticam ações de onde não esperam resultados imediatos
15. 14 Reavaliam seus Princípios Se há algo errado, procuram mudar a si mesmos
16. 15 Usam a Mente de Maneira Sábia Sabem que sua mente é seu bem mais precioso
17. 16 Pensam de Maneira Produtiva Substituem pensamentos negativos por praticidade e produtividade
18. 17 Aceitam Sair de Sua Zona de Conforto Quando sentem coisas negativas sobre sua situação, procuram melhorar
19. 18 Meditam Sobre seu Progresso Avaliam e planejam todos os dias
20. Inspiração: Forbes.com

2 de julho de 2016

Livro de Obadias






Livro de Obadias

1. Livro de ObadiasLivro de Obadias Igreja Batista Betel – Franca, SPIgreja Batista Betel – Franca, SP 03 de julho de 201603 de julho de 2016 Rogério Nunes de LimaRogério Nunes de Lima

2. Tema e Principal TextoTema e Principal Texto Tema Julgamento sobre Edom Texto Os vencedores subirão ao monte Sião para governar a montanha de Esaú. E o reino será do SENHOR. Obadias 1:21

3. Autoria e DataAutoria e Data Obadias = Servo / Adorador de Jeová Nome comum no Antigo Testamento Não há outras pistas, podendo ser um apelido Contraste com o final do livro Data 587 aC (?) - logo antes da expulsão dos edomitas da terra de Judá

4.
5. IntroduçãoIntrodução Visão de Obadias = Revelação a Obadias A respeito de Edom (ver Gênesis 36.1)

6. Lei de TaliãoLei de Talião Pois o dia do SENHOR está próximo para todas as nações. Como você fez, assim lhe será feito. A maldade que você praticou recairá sobre você. Obadias 1:15 Êxodo 21:23-25 Mateus 6:12 e 7:1-2

7. ArrogânciaArrogância (3) Arrogância no coração Proteção nas rochas e morada no alto “Quem poderá me derrubar?” (2 e 4) Consequências Pequenez, desprezo total, seria derrubado

8. Pior entre PioresPior entre Piores (5-6) Piores que os ladrões (10) Pior que os assassinos (7) Castigo Traição, eliminação completa, vergonha

9. Pecados AgravadosPecados Agravados Vers. Pecado Agravante 11 Omissão Oportunismo 12 Inveja Arrogância 13 Crueldade Roubo 14 Covardia Emboscadas Adultério de Davi

10. PromessasPromessas (17) Aos que escaparam de Edom Habitarão o monte santo de Sião Possuirá a herança de Jacó (Israel) (21) Aos vencedores Governo a partir de Jerusalém Verão o reino do Senhor

11. Os textos são da NVI. www.rogerionunes.net

27 de junho de 2016

O Deus que Cura



Aí Moisés levou o povo de Israel do mar Vermelho para o deserto de Sur. Eles caminharam três dias no deserto e não acharam água. Então chegaram a um lugar chamado Mara, porém não puderam beber a água dali porque era amarga. Por isso aquele lugar era chamado de Mara. O povo reclamou com Moisés e perguntou:
— O que vamos beber?
Então Moisés, em voz alta, pediu socorro a Deus, o Senhor, e o Senhor lhe mostrou um pedaço de madeira. Moisés jogou a madeira na água, e a água ficou boa de beber.
Foi nesse lugar que o Senhor Deus deu leis aos israelitas e os pôs à prova. Ele disse:
— Se vocês prestarem atenção no que eu digo, se fizerem o que é certo e se guardarem os meus mandamentos, eu não os castigarei com nenhuma das doenças que mandei contra os egípcios. Eu sou o Senhor, que cura vocês. (Êxodo 15.22-26)
Foi um misto de sensações. Quatrocentos anos como escravos. Depois um livramento cinematográfico, com dez pragas, abertura do Mar Vermelho e muita festa e dança do outro lado. Mas a vida segue. Tomaram caminho novamente, desta vez pelo deserto de Sur, três dias de caminhada sem encontrar água. Homens e mulheres, velhos e crianças, carregando suas mudanças pelo solo arenoso do oriente médio. Era muita sede e desesperança.

Estar no Egito por 400 anos, mesmo sob escravidão, não pareceu tão mau a partir deste ponto de vista. Havia água. Havia comida. Havia pavimento sob os pés e teto sobre a cabeça. Realmente, essa tal liberdade não era tão boa assim. Sair da zona de conforto doía mais do que podiam imaginar. A escravidão tem dessas coisas. O pássaro engaiolado tem dificuldade de voltar à natureza. Acostumou-se à prisão. Seguir com a correnteza é mais fácil.

Mesmo depois do agir de Deus, da contemplação de tudo que Ele podia fazer, da coluna de fogo e da nuvem, do mar se abrindo... Sei lá. O deserto era muito difícil. Andar no deserto é uma caminhada de fé. A direção nem sempre parece correta, porque às vezes o sofrimento vai aumentando. Será que Deus é Deus de sofrimento? Mas, como Chesterton dizia, só um peixe vivo nada contra a correnteza. A liberdade que eles queriam, o direito de ter sua própria terra, de formar sua família como bem entendesse, sem Faraó matando e batendo e roubando... Era tudo tão bom. Mas tudo envolvia uma responsabilidade que parecia grande demais.

Israel percebeu que tentar acertar dá trabalho. O apóstolo Paulo chama isso de "culto racional". Culto racional significa tomar decisões racionais, em detrimento das emocionais. Ou seja, não é necessário que o pregador me faça chorar para que eu me arrependa e resolva mudar de caminho.

Israel percebeu que é necessário atravessar desertos na vida. Muitos destes desertos são éticos. Outros são existenciais. O sentimento de abandono bate forte. Somos uma exceção na paisagem morta e inerte.

Israel percebeu que assumir certos riscos é necessário. No caso do povo de Israel, assumiram o risco de perder a vida, sem água, no meio de um deserto desconhecido.

Ao longe, perceberam uma coisa que destoava da paisagem. Um ponto verde. Mato. Coqueiros. Árvores. Um amontoado de vida no horizonte de morte. Acharam água. Foi pior do que se não achassem nada. As águas não se podiam beber. Sabe o quanto uma água precisa ser ruim para uma pessoa não querer bebê-la após três dias de sede? Era assim. Era Mara. Era amargura.

Por vezes, em nossos desertos, temos o desejo de desistir. O medo vai crescendo dentro de nós. A tristeza assola nosso coração. A alma vai sendo tomada por amargura. Vários servos de Deus já passaram por um período assim. Elias e Davi em suas cavernas. Jesus no Getsêmani. Paulo e seu espinho na carne. Choramos de dor, medo, tristeza, amargura ou quem sabe tudo junto e misturado. É o abandono.

Enquanto Israel clama a Moisés, Moisés clama ao Senhor. E o Senhor, mais uma vez, providencia uma saída nada usual: jogar um toco de madeira na água. Moisés já viu o bastante de Deus para saber que vai dar certo. Ele obedece. E a água se torna doce. Estavam salvos.

Obedecer a Deus é difícil porque Ele toma caminhos que não entendemos. Nos resta obedecer. E também crer que Jesus é o Senhor que nos Cura (Jeová Rafá). Isto não quer dizer que o deserto acabou. Não quer dizer que o sol vai ficar fresco sobre nossa cabeça e que o caminho vai se tornar plano. O deserto continua.

Nós continuamos caminhando. E contando com um milagre de cada vez.

Qual Ritmo Deve Ser Usado No Louvor


Um renomado pastor escreveu, nestes dias, que ritmos como samba, funk ou rap não servem como louvor a Deus. Fiz uma paráfrase do texto de João 4.19-27 para pensarmos como Jesus trataria este tipo de coisa.

A mulher com quem Jesus conversava disse a ele:
- Estou vendo que o senhor é um desses profetas! Eu sou tradicional e meus antepassados me ensinaram que devemos louvar a Deus com música do Século XIX, principalmente dos hinários mais conhecidos, mas vocês dizem que devemos louvar com músicas contemporâneas.

Jesus respondeu:
- Moça, acredite no que te falo, Deus não está nem aí para o ritmo de música que você utiliza para louvar... Virá o tempo, e na verdade já chegou, em que os verdadeiros adoradores vão louvar ao Pai em espírito e em verdade. Deus não tem interesse em outros, ele procura os que O adoram assim. Deus é Espírito, e por isso os que desejam adorá-lo verdadeiramente devem fazê-lo em espírito e em verdade.

A moça logo foi falando:
- O enviado de Deus, chamado O Ungido, precisa vir logo. Quando ele vier, vai explicar tudo direitinho pra nós!

Então Jesus afirmou:
- Moça, eu mesmo sou o enviado de Deus, eu que estou falando com você!

Os discípulos foram chegando e acharam muito esquisito Jesus falando com uma pessoa que não era do mesmo esquema deles. Além de mulher, era de outra denominação. Nada a ver o que Jesus estava fazendo! Mas não perguntaram nada pra mulher e nem pra Jesus.

E eu, tadinho de mim, fico aqui pensando: por que complicar algo que o Senhor já explicou? Mas eu tenho uma resposta. É porque as pessoas gostam de impor seus costumes e gostos. Em todos os lugares.

Pesca em Família


Certo dia Jesus estava perto do lago de Genesaré, e uma multidão o comprimia de todos os lados para ouvir a palavra de Deus. Viu à beira do lago dois barcos, deixados ali pelos pescadores, que estavam lavando as suas redes. Entrou num dos barcos, o que pertencia a Simão, e pediu-lhe que o afastasse um pouco da praia. Então sentou-se, e do barco ensinava o povo.
Tendo acabado de falar, disse a Simão: "Vá para onde as águas são mais fundas", e a todos: "Lancem as redes para a pesca". Simão respondeu: "Mestre, esforçamo-nos a noite inteira e não pegamos nada. Mas, porque és tu quem está dizendo isto, vou lançar as redes". Quando o fizeram, pegaram tal quantidade de peixe que as redes começaram a rasgar-se. Então fizeram sinais a seus companheiros no outro barco, para que viessem ajudá-lo; e eles vieram e encheram ambos os barcos, a ponto de quase começarem a afundar.

Quando Simão Pedro viu isso, prostrou-se aos pés de Jesus e disse: "Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador! " Pois ele e todos os seus companheiros estavam perplexos com a pesca que haviam feito, como também Tiago e João, os filhos de Zebedeu, sócios de Simão. Então Jesus disse a Simão: "Não tenha medo; de agora em diante você será pescador de homens". Eles então arrastaram seus barcos para a praia, deixaram tudo e o seguiram. Lucas 5:1-11

Estava rolando uma pesca em família, entre os irmãos André e Pedro e seus sócios, também irmãos, Tiago e João. Enquanto Jesus se preocupava em ensinar sobre Deus para a multidão que estava à margem do lago, eles cuidavam das suas coisas de pescadores: consertar redes, desentortar anzóis, estas coisas. Eles não perceberam que Jesus iria mudar a vida deles para sempre.

Enquanto consertavam suas redes, havia um sentimento de fracasso corroendo o coração dos quatro rapazes. A pesca na noite anterior fora um fracasso total. O que eles iam comer hoje? O que iriam vender para conseguir o sustento da família? Todos os seus conhecimentos, equipamentos e esforço, ter acordado de madrugada e pescado até o amanhecer... tudo inútil. Não perceberam que há coisas que não dependem de nós. Confiaram demasiadamente em si mesmos e agora estavam desiludidos na margem do lago, enquanto um pregador - mais um! - fazia sua palestra.

Jesus estava sem espaço e pediu um lugar no barco. Poderia ficar mais no alto e ser visto e ouvido por mais gente. Eles ofereceram o barco. Não foi aluguel. Não foi permuta. Eles ofereceram o barco sem esperar nada, nenhuma recompensa. Generosidade sempre chamou a atenção de Jesus. Não foi diferente.

Ao terminar a palestra, Jesus pede para que eles voltem ao lago, em um ponto específico, e lancem novamente a rede. Pedro faz questão de deixar claro que as técnicos e esforços já foram utilizados. Afinal, ele é pescador de longa data e Jesus é um pregador-marceneiro, não tem nada pra ensinar sobre pesca. Mas, alguma coisa diz a Pedro que aquele homem tem algo a mais. Pedro resolve obedecer. Utiliza as mesmas técnicas da noite passada, a noite do fracasso. Mas sua obediência fez toda a diferença.

O barco cheio de peixes. As redes se rasgando. Pedro percebe que aquilo não é natural. É mais do que ele pode explicar. O milagre teve seu efeito, porque todo milagre não é para nossa exaltação, mas para nosso arrependimento, para nos mostrar que não somos nada. Jesus só faz algo sobrenatural para nos salvar do pecado. Para nos mostrar que somos pecadores indignos e estamos longe de Deus. Pedro reconheceu sua dependência de Deus.

O coração de Pedro, André, Tiago e João estava ganho. Jesus os chama para segui-lo. O que eles poderiam fazer? Eles deixaram tudo: o barco, as redes e o milagre dos peixes para trás. E seguiram sua vocação: pescadores de homens, pescadores em família.

22 de junho de 2016

Como Águias, Serpentes e Navios


Estas três coisas parecem-me maravilhosas; e há até uma quarta que eu não compreendo: O caminho da águia no céu, o caminho duma serpente deslizando nas rochas, o caminho dum navio no alto mar e o desenvolvimento do amor entre um homem e uma moça.
Provérbios 30:18

Mensagem compartilhada entre os convidados do casamento de Viviane e Kairo, em 04/06/2016.

Nos dias de hoje há uma pergunta que intriga muita gente: por que as pessoas ainda se casam? Por que tanta festa, tanta flor, tanta roupa bonita com gente bem arrumada? Por que um casal ainda procura a Deus para renovar seus votos? A sociedade já não lhes cobra nada. Ninguém lhes obrigou a nada. É um mistério a ser resolvido.

Há mais de 25 séculos, Agur pensou a mesma coisa. Após sua reflexão, produziu o texto de Provérbios 30.18, transcrito logo aí em cima, na versão "O Livro". Sabemos que é um enigma, onde o autor propõe que a quarta coisa - o amor entre um homem e uma moça - é ainda mais sublime que as outras três. Podemos tirar lições preciosas deste enigma.

1. Não Há Caminhos Pré-Estabelecidos

O que há em comum nestas quatro coisas que Agur citou é que não há qualquer caminho estabelecido anteriormente. Não há estradas, nem placas de advertência, nem avisos. A águia no céu, a serpente na rocha e o navio no alto mar traçam seu próprio caminho dependendo dos seus objetivos e da sua perspicácia.

Assim também é o casamento: não há manual ou guia, nem placas na estrada. Os exemplos de família que temos não são a verdade absoluta e, embora possam ser utilizados em parte, o novo casal precisa saber que está formando uma nova família. Não é uma cópia da casa de seus pais. Não é uma réplica dos livros de auto-ajuda. É uma família totalmente nova que deverá aprender como se conduzir durante a própria caminhada. É um lar novo, único e singular.

2. Águia: Dois em Um

Na primeira comparação, Agur diz que o amor de um casal é como o caminho da águia no céu. A águia é conhecida por sua capacidade de alçar grandes voos. Porém, para atingir seus objetivos no voo, a águia precisa de pares: um par de olhos e um par de asas. Os dois olhos, juntos, dão à águia uma noção perfeita de profundidade e distância. Se um dos olhos falhar, a águia não poderá confiar totalmente no que está vendo. As asas, então, são essenciais: uma asa danificada comprometerá todo o voo. Embora olhos e asas estejam em pares, cumprem a mesma função no mesmo corpo e precisam se mover em harmonia.

Quando Deus instituiu o casamento, disse que o homem e a mulher deixariam o lar de seus pais e se tornariam uma só carne. É óbvio que ainda permanecerão separados fisicamente, mas os planos, a alma, os objetivos, a vida será partilhada ao máximo. Serão como asas separadas, mas alçando o mesmo voo. Serão como olhos separados, mas mirando um mesmo objetivo. Se o marido falhar nesta unidade, o objetivo da família fica comprometido. O mesmo acontece com a esposa.

3. Serpente: Atenção aos Detalhes

Já a serpente que rasteja sobre as rochas precisa ter uma capacidade diferente da águia. Enquanto a águia contempla o macro, a serpente se atenta aos detalhes. Enquanto se locomove, precisa observar as fendas, as touceiras de mato, as tocas, as curvas da rocha. Coisas que a águia não enxerga, mas que estão lá e servem de referência.

Um casamento também dará certo quando se dá atenção aos detalhes. Muitos casais falharam ou deixaram passar coisas que consideravam pequenas e que se acumularam durante muito tempo. A palavra ríspida, a falta de carinho, um hábito irritante, uma mudança interior que nunca foi tentada. Muitas coisas poderiam ser citadas. Elas vão minando o amor aos poucos e são quase imperceptíveis. As rachaduras vão se formando. Geralmente, quando tudo desmorona, já é tarde demais. Prestar atenção aos detalhes, como a serpente faz quando está na rocha, é uma necessidade no lar.

4. Navio em Alto Mar: o Mais Importante de Tudo

A águia e a serpente possuem uma vantagem em relação ao navio: as referências estão disponíveis. A águia pode se guiar pelas montanhas, árvores e rios. A serpente pelos detalhes na rocha e no solo. Mas o navio, quando está no alto mar, não possui referência alguma pois o mar muda constantemente. Quando o porto deixa de estar visível, os marinheiros recorrem a uma referência essencial: as estrelas. Utilizavam mapas e aparelhos, como o astrolábio e o sextante, para traçar sua rota enquanto olhavam para o céu. Na época de Agur não havia o GPS.

Muitas vezes, no casamento, tomamos rumos que nos afastam da segurança do cais. Deixamos o porto e vamos nos embrenhando por mares desconhecidos, talvez de maneira intencional, mas também pode ser involuntariamente. Talvez uma enfermidade, um problema financeiro, uma questão familiar que nunca foi enfrentada antes. Quando os problemas se avolumam e começam a se lançar contra o casal, sabemos que o mar está revolto e que a segurança da navegação está em risco.

Neste momento a Bíblia nos mostra a saída: olhe sempre para o céu. Jesus nos prometeu que estaria todos os dias conosco, durante toda a nossa vida. Ele não falha e jamais falhará. Quando perder o porto de vista, o horizonte estiver formado por ondas e mais ondas, a embarcação estiver sofrendo, olhe para Deus e trace a rota do casamento baseados naquilo que Ele lhes mostrar. Os problemas sempre vêm. Mas Deus sempre está presente.

18 de junho de 2016

Livro de Amós





1. Livro de AmósLivro de Amós EBD – Igreja Batista Betel – Franca, SP 19 de junho de 2016 Rogério Nunes de Lima
2. Tema e TextoTema e Texto Juízo e Restauração de Israel Texto Principal Aquele que forma os montes, cria o vento e revela os seus pensamentos ao homem, aquele que transforma a alvorada em trevas, e pisa sobre as montanhas da terra; o SENHOR, o Deus dos Exércitos, é o seu nome. Amós 4:13
3. ESQUEMA DO LIVRO DE AMÓSESQUEMA DO LIVRO DE AMÓS Cap Divisão Tópicos Alvo Tempo 1 2 Pronunciamentos e Julgamentos sobre Israel e Vizinhos 8 Pronunciamentos Sermões Exortação Nações Vizinhas Entre 760 e 755 aC Terremoto Zacarias 14.5 3 4 5 Julgamento de Deus 3 Sermões 2 Oráculos Israel Reino do Norte 6 7 Amós Vê o Julgamento 5 Visões Sinais Encorajamento8 9 Promessas ao Povo de Deus 5 Promessas
4. Tecoa (1.1) Damasco (1.3-5) Gaza (1.6-8) Tiro (1.9-10) Edom (1.11-12) Amom (1.13-15) Moabe (2.1-3) Judá (2.4-5) Israel (2.6-16)
5. Pronunciamentos 1.1 – 2.16 Conforme Mapa Anterior Sermões 3.1-15 Sobre o Relacionamento na Aliança 4.1-13 Sobre a Desobediência a Deus 5.1-17 Sobre Esquecer a Verdadeira Adoração Oráculos 5.18-27 Sobre o Dia do Senhor 6.1-14 Sobre a Confiança nas Riquezas Visões 7.1-3 Gafanhotos 7.4-6 Fogo 7.7-17 Prumo 8.1-14 Frutos de Verão 9.1-10 Senhor no Altar Promessas 9.11 Reconstrução 9.12 Reconquista 9.13 Reimplantação 9.14 Restauração 9.15 Restabelecimento
6. Tópicos a ConsiderarTópicos a Considerar Dia do Senhor Riquezas e Prazer Pecados contra o Próximo Profecia Lógica de Deus Ministério Religião Promessas
7. Riquezas e PrazerRiquezas e Prazer 1.5 – Trocadilho sobre Iniquidade e Prazer 3.10 – Riquezas Ilícitas 6.13 – A busca por Lo-Debar
8. Pecados e CulpasPecados e Culpas 1.9 – Desprezo por irmãos 2.4 – Diversos pecados 2.6-7 – Profanação ao nome do Senhor
9. InjustiçaInjustiça 4.1-2 – O pobre e o juízo de Deus 5.7-12 – Cuidado ao assegurar-se na injustiça 7.7-8 – O contraponto com a justiça de Deus
10. A Lógica de DeusA Lógica de Deus 2.14-16 – Quebra a força dos fortes 3.3 – Incentiva a concordância
11. Importância da ReligiãoImportância da Religião 4.4-5 – Lado pecaminoso da religião 5.21-24 – Abominações para Deus 6.3-6 – Religião sem entrega é abominação
12. Ministério e ProfeciaMinistério e Profecia 2.11 – Amós não era “profissional” Diferença entre cargo, função e dom 2.12 – Sociedade x Profetas 3.6-8 – Responsabilidade, relacionamento com Deus e coragem necessárias para o ministério profético 5.13 – Profecia e Prudência 7.12-14 – Quem pode proibir o ministério profético
13. O Dia do SenhorO Dia do Senhor 5.18 e 5.20 – Não é o que pensamos 1.2 – Dia de pânico 4.12-13 – Como é encontrar-se com Deus 5.4 – O que encontramos em Deus
14. PromessasPromessas 5.14-15 – Restauração 8.4-7 – Vigilância 8.11 – Solução 9.11 – Nada ficará quebrado 9.15 – Restabelecimento

11 de junho de 2016

Livro de Joel



Lição ministrada na IB Betel em Franca, SP.




1. Livro de Joel Estudo Panorâmico EBD – Igreja Batista Betel – Franca, SP 12 de junho de 2016 Rogério Nunes de Lima
2. Quem Escreveu Joel = O Senhor é Deus = Jeová é Deus Filho de Petuel Profeta que viveu, provavelmente, entre os sacerdotes, devido a seu conhecimento das liturgias e das profecias. Divisão e composição do livro mostra erudição e cuidado artístico.
3. Cronologia Não se sabe ao certo quando foi escrito. Problema: não há dados históricos e arqueológicos a respeito do livro. 800 aC – Não cita os babilônios e persas, reinos que se tornaram potências e dominaram Judá. 300 aC – Citações de vários profetas, incluindo Daniel, que viveu no cativeiro; citação dos jônios, ou gregos, povo mais conhecido somente no Século IV aC.
4. Local Oséias e Eliseu viveram no reino de Israel, ao Norte. Joel viveu e realizou seu ministério e pregações no reino de Judá, ao Sul.
5. Pontos Principais Texto Principal: Rasguem o coração, e não as vestes. Voltem-se para o Senhor, para o seu Deus, pois ele é misericordioso e compassivo, muito paciente e cheio de amor; arrepende-se, e não envia a desgraça. Joel 2:13 Tema do Livro: Necessidade de Avivamento e Relacionamento com Deus
6. Resumo do Livro Ênfase Desolação Exortação Restauração Emoção Tristeza Atual Mudança Júbilo Futuro Pontos Principais Praga dos Gafanhotos 1.1 – 2.11 Chamado ao Arrependimento 2.12 – 2.17 Futuro de Judá 2.18 – 3.21 Cristo em Joel Pecado e Consequências Espírito Santo convence do pecado, da justiça e do juízo Cristo julga mas também restaura
7. Praga dos Gafanhotos 1.1 a 1.12 Revoada de gafanhotos como acontece até o dia de hoje em determinados locais. 1.4 – NVI – Cortador, peregrino, devastador e devorador. ARA – Cortador, voador, devastador e devorador. ACF – Lagarta, gafanhoto, locusta e pulgão. 1.10-12 – Problemas em: campos, terra, trigo, parreiras (vinho), oliveiras (azeite), cevada, romãzeiras, palmeiras, macieiras – ALEGRIA (12)
8. A Considerar Deus tem o Universo sob suas ordens. Mortificar e humilhar também são atitudes que Deus toma quando é necessário. Deus pode utilizar criaturas e coisas frágeis e desprezíveis para fazer coisas grandes.
9. Chamado ao Arrependimento 1.13-20 1.14 – Necessidade de um arrependimento coletivo e unido 1.16-17 – Problemas afetam o culto 1.19-20 – Joel clama ao Senhor e diz que até os animais clamam a Ele
10. A Considerar Quanto mais confiança depositamos nos deleites e no conforto fornecido por nossos sistemas, mais expostos estamos ao juízo de Deus. Nunca colocar minha alegria e minha realização em coisas que posso perder.
11. Dia do Senhor: Juízo 2.1-11 Joel descreve o que se viu durante a praga: trevas causadas pelo número de gafanhotos (2); destruição (3); barulho (5); nuvem indestrutível (7- 9). 2.11 – Entende que o Senhor enviou os gafanhotos sobre Judá
12. A Considerar Os juízos de Deus são sempre benditos. Nossos caminhos podem trazer dor, humilhação e vergonha. Deus pode sempre transformar nossos caminhos através do arrependimento, confissão e lamentação.
13. Novo Arrependimento 2.12-17 2.12-13 – Deixar as aparências e se converter verdadeiramente. 2.15-16 – Arrependimento coletivo. 2.17 – Espera-se arrependimento dos líderes espirituais de Judá.
14. A Considerar Todos temos parte em pecados coletivos. Papel dos líderes espirituais: alertar o povo, advertir sobre o pecado e revelar consequências. Há diferença entre o DIZER e o FAZER: Começa com preocupação e choro pelo que se perdeu (TER) e termina com preocupação e choro pelo que se tornou (SER). Havia prática da religião (EXTERNO) mas não da piedade (INTERNO). Separavam-se do pecador mas não do pecado.
15. A Considerar Sobre a conversão: Oposto da obstinação. Conversão é deserção, desobediência e rebelião contra o estado em que nos encontramos.
16. Resposta do Senhor 2.18-27 2.18-19 – Mostrou zelo, teve piedade, respondeu 2.23 – Dá chuva conforme a sua justiça 2.25 – Admissão de que a praga foi enviada pelo Senhor como juízo 2.27 – Propósito: mostrar que o Senhor é Deus (nome de Joel)
17. A Considerar Joel prediz o derramamento do Espírito Santo e o princípio da comunhão pessoal com Deus.
18. Dia do Senhor: Bênção 2.28-32 2.28-29 – Bênçãos espirituais 2.32 – Salvação ao que clamar A Considerar: A salvação está no Senhor. Como conciliar com a verdade de que também devemos implantar o Reino de Deus neste mundo?
19. Julgamento das Nações 3.1-21 3.3 – Desrespeito a direitos básicos 3.5-6 – O tesouro valioso de Deus é o seu povo 3.12 – Contraste com Isaías 3.13

8 de junho de 2016

Intervalo Doloroso



Depois de um tempo sem escrever, me deparei hoje com este texto do Fernando Pessoa. É a descrição de uma depressão. Quem já passou por uma fase ruim vai perceber logo de cara.

"Tudo me cansa, mesmo o que não me cansa. A minha alegria é tão dolorosa como a minha
dor. Quem me dera ser uma criança pondo barcos de papel num tanque de quinta, com um dossel rústico de entrelaçamentos de parreira pondo xadrezes de luz e sombra verde nos reflexos
sombrios da pouca água.

Entre mim e a vida há um vidro ténue. Por mais nitidamente que eu veja e compreenda a vida, eu não posso lhe tocar. Raciocinar a minha tristeza? Para quê, se o raciocínio é um esforço? e quem é triste não pode esforçar-se. Nem mesmo abdico daqueles gestos banais da vida de que eu tanto quereria abdicar. Abdicar é um esforço, e eu não possuo o de alma com que esforçar-me.

Quantas vezes me punge o não ser o manobrante daquele carro, o cocheiro daquele trem! qualquer banal Outro suposto cuja vida, por não ser minha, deliciosamente se me penetra de eu querê-la e se me penetra até de alheia!

Eu não teria o horror à vida como a uma Coisa. A noção da vida como um Todo não me esmagaria os ombros do pensamento. Os meus sonhos são um refúgio estúpido, como um guarda chuva contra um raio. Sou tão inerte, tão pobrezinho, tão falho de gestos e actos. Por mais que por mim me embrenhe, todos os atalhos do meu sonho vão dar a clareiras de angústia.

Mesmo eu , o que sonha tanto, tenho intervalos em que o sonho me foge. Então as coisas aparecem-me nítidas. Esvai-se a névoa de quem me cerco. E todas as arestas visíveis ferem a carne da minha alma. Todas as durezas olhadas me magoam o conhêce-las durezas. Todos os pesos visíveis de objectos me pesam por a alma dentro.

A minha vida é como se me batessem com ela."

15 de abril de 2016

Reina na Minha Vida


REINA NA MINHA VIDA

Juízes 8.22-23


Introdução

  1. Vivemos hoje uma época da crise de autoridade.
  2. As pessoas não respeitam mais as autoridades policiais, políticas, familiares, espirituais.
  3. Na busca da felicidade (“o importante é ser feliz” – edonismo), as pessoas se esquecem que a verdadeira felicidade está em Deus.
  4. Definir posição histórica de Gideão.

I – AS PESSOAS QUEREM AUTORIDADES QUE SEJAM CONVENIENTES (8.22)
  1. As pessoas gostam de servir a quem é conveniente.
  • Condenamos a idolatria de ídolos feitos de gesso, madeira etc..., mas e os outros tipos de idolatria? “Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro” (Mateus 6.24) – Outros deuses: dinheiro, bens, pessoas, artistas...
  • Quando servimos a alguém ou a algo que não seja a Deus, perdemos nosso foco e caímos em idolatria.
  • Nossa visão é distorcida e, muitas vezes, preferimos levantar nossas próprias autoridades – escolha de Saul – “Ele tinha um filho chamado Saul, jovem de boa aparência, sem igual entre os israelitas; os mais altos batiam em seus ombros” (1 Samuel 9.2).

  1. As pessoas gostam de ser servidas.
  • É o outro lado da moeda – nos colocamos no papel de Deus.
  • “E quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gostam de ficar orando em pé nas sinagogas e esquinas, a fim de serem vistos pelos outros. Eu lhes asseguro que eles já receberam sua plena recompensa” (Mateus 6.5).
  • As pessoas buscam: glória pessoal, status, aparência.

II – O DESAFIO É DEIXAR DEUS REINAR (8.23)
  1. Um dos maiores desafios da vida cristã é deixar nosso egoísmo e falta de fé e entregarmos tudo (100%) a Ele.
  2. Viver o sobrenatural ao invés do natural. (Jesus como homem e como Deus – Ed René).
  3. Áreas em que Deus deve reinar:
  • Espiritual – “Da mesma forma, considerem-se mortos para o pecado,mas vivos para Deus em Cristo Jesus” (Romanos 6.11).
  • Familiar – “Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor. Então o povo respondeu: Longe de nós abandonar o Senhor para servir outros deuses!” (Josué 24.15).
  • Profissional – “Se vocês obedecerem a essas ordenanças, as guardarem e as cumprirem, então o Senhor, o seu Deus, manterá com vocês a aliança e a bondade que prometeu sob juramento aos seus antepassados. Ele os amará, os abençoará e fará com que vocês se multipliquem. Ele abençoará os seus filhos e os frutos da sua terra: o cereal, o vinho novo e o azeite, as crias das vacas e das ovelhas, na terra que aos seus antepassados jurou dar a vocês” (Deuteronômio 7.12-13).
  • Estudantil – “No temor do Senhor está a sabedoria, e evitar o mal é ter entendimento” (Jó 28.28).
  • Financeira – “Do Senhor é a terra e tudo o que nela existe, o mundo e os que nele vivem” (Salmos 24.1).
  • Relacional – “Vocês ouviram o que foi dito: Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo. Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem” (Mateus 5.43-44).
  • Física – “Vocês não sabem que os seus corpos são membros de Cristo?” (1 Coríntios 6.15).
  • Sentimental – “Quem encontra uma esposa encontra algo excelente; recebeu uma bênção do Senhor” (Provérbios 18.22).
  • Diversão – “Então irei ao altar de Deus, a Deus, a fonte da minha plena alegria” (Salmos 43.4).
  • Pensamentos e Planos – “Ao homem pertencem os planos do coração, mas do Senhor vem a resposta da língua. Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos” (Provérbios 16.1 e 3).

Conclusão


  1. Deus quer reinar em nossa vida.
  2. Precisamos consertar as coisas erradas.
  3. Que o Senhor reine sobre vós.
  4. E Ele nos abençoará.

10 de abril de 2016

Propósitos Que Agradam a Deus



PROPÓSITOS QUE AGRADAM A DEUS
Lucas 15.11-32

Introdução
  1. Vamos falar sobre propósito. Propósito é a resposta que damos à pergunta “por quê?”
  2. Descobrimos então, que tudo na vida tem um propósito.

  1. Por que...
    1. Você vestiu esta roupa?
    2. Você trabalha no que trabalha?
    3. Você se casou com esta pessoa?
    4. Você se tornou um cristão?
    5. Você veio prestar culto hoje?

  1. Quando falamos de “propósitos”, falamos de Deus, porque Deus tem um propósito para todas as coisas.
  2. Efésios 3:11 - “Deus fez isso de acordo com o seu propósito eterno, que ele realizou por meio de Cristo Jesus, o nosso Senhor”.
  3. Romanos 8:28 - “Pois sabemos que todas as coisas trabalham juntas para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles a quem ele chamou de acordo com o seu plano”.
  4. Fomos feitos à imagem e semelhança de Deus, por isso também temos propósitos.

  1. O texto de Lucas 15 é uma sequência de 3 parábolas: ovelha, moeda e filho perdidos.
    1. A ovelha estava perdida, mas não sabia como voltar.
    2. A moeda estava perdida, mas não tinha como voltar por si mesma.
    3. O filho estava perdido, mas tinha condições de mudar seu propósito de vida.

  1. Jesus estava confrontando fariseus e mestres da lei que O acusavam de receber pecadores e publicanos.
    1. Pessoas que rejeitavam os perdidos que estavam voltando.

  1. Na parábola, o Pai é uma figura para Deus; o filho mais novo representa os pecadores que Jesus recebe.
    1. A identificação com a parábola é grande: sentimos que nossa vida está sendo perdida, poderíamos fazer mais para Deus, poderíamos crescer mais em Cristo.
    2. Desde que, é claro, estes sejam nossos propósitos.

  1. Este filho mais novo, que se perdeu, mostra que passou por duas fases:
    1. Criar e desenvolver propósitos que desagradam a Deus
    2. Criar e desenvolver propósitos que agradam a Deus

I – PROPÓSITOS QUE DESAGRADAM A DEUS

  1. Lucas 15.12-13 – “O mais novo disse a seu pai: ‘Pai, quero a minha parte da herança’. Assim ele repartiu a sua propriedade entre eles. Não muito tempo depois, o filho mais novo reuniu tudo o que tinha, e foi para uma região distante; e lá desperdiçou os seus bens vivendo irresponsavelmente”.
  2. Jesus não explica o por quê, mas menciona que em determinado momento aquele filho fez planos e começou a colocá-los em prática.


  1. O simples fato de ter propósitos na vida não significa que estamos agradando a Deus.
    1. Precisamos, sim, estabelecer propósitos.
    2. O problema está nos tipos de propósitos que estabelecemos.

  1. O rapaz pediu sua parte na herança.
    1. Tomar cuidado com o que pedimos: Deus pode nos dar.
    2. Na verdade, ele sempre teve a herança, mas sob administração do Pai.
    3. Quando ele pede sua herança, na verdade ele pede para administrar sozinho.
    4. Achou que estava crescendo, mas estava procurando a ruína.
    5. Provérbios 16:25 - “Há caminhos que parecem certos, mas podem acabar levando para a morte”.
    6. Tentou controlar a própria vida, do seu próprio jeito.

  1. O rapaz foi para um lugar distante.
    1. Ele queria apenas ver o mundo.
    2. Mas havia um preço: ele se distanciou do Pai.
    3. O filho foi perdido, mas não por que o Pai o perdeu. Ele mesmo quis perder-se.
    4. Isaías 59.1-2 – “Vocês estão pensando que o SENHOR perdeu a força e não pode nos salvar? Ou pensam que ele está surdo e não pode nos ouvir? Pois são os pecados de vocês que os separam do seu Deus, são as suas maldades que fazem com que ele se esconda de vocês e não atenda as suas orações”.
    5. Estar distante de Deus é um preço que muita gente paga, pensando poder ser feliz.

  1. O rapaz viveu irresponsavelmente.
    1. Queria curtir a vida, queria beber, comer, ser feliz.
    2. Foco estava no que era carnal e passageiro, nas coisas deste mundo.
    3. Tiago 1.13-16 – “Quando alguém for tentado, não diga: “Esta tentação vem de Deus.” Pois Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo não tenta ninguém. Mas as pessoas são tentadas quando são atraídas e enganadas pelos seus próprios maus desejos. Então esses desejos fazem com que o pecado nasça, e o pecado, quando já está maduro, produz a morte. Não se enganem, meus queridos irmãos”.
    4. Nossa luta não é somente contra as hostes espirituais.
    5. Dentro de nós há um desejo que procura nos arrastar para o pecado.
    6. Precisamos, constantemente, avaliar nosso propósitos e ver de onde eles partem: de Deus ou de nossos próprios desejos?

II – PROPÓSITOS QUE AGRADAM A DEUS

  1. Lucas 15.17-20 – “Caindo em si, ele disse: ‘Quantos empregados de meu pai tem comida de sobra, e eu aqui, morrendo de fome! Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados’. A seguir, levantou-se, e foi para seu pai. Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e o beijou”.
  2. Num segundo momento, o jovem começa a transformar sua vida.

  1. Infelizmente, depois de colher as conseqüências do seu pecado.
    1. Procurou ajuda no país distante.
    2. Muitas pessoas continuam presas às conseqüências das suas ações.
    3. Pensam que a solução está no lugar em que estão.



  1. Jesus, agora, menciona o por quê: caindo em si.
  2. Houve um “insight” espiritual. Algo que mexeu com as estruturas do rapaz.
    1. Houve uma intervenção divina na vida do rapaz.
    2. Seus olhos foram abertos para sua condição.
    3. Deus procura pessoas que estejam com o coração aberto para perceber a presença do ES.
    4. Chamamos isso de “avivamento”.

  1. O rapaz compreendeu quem era e qual sua situação.
    1. As palavras mais difíceis para uma pessoa são: “eu estou errado (a)”.
    2. Reconhecer nosso erro mexe com nosso ego, mexe com nossos sonhos, mexe com quem nós realmente somos.
    3. Mas estas palavras são incrivelmente libertadoras.
    4. Quando admitimos e enxergamos o erro, começamos a ter uma visão gloriosa do que é correto e do que é a vontade de Deus.
    5. Começamos a enxergar coisas que não enxergávamos.
    6. Mas é necessário admitir o erro.

  1. O rapaz decidiu se colocar no caminho e voltar para o pai.
    1. Muitos sonhos: vou ler a Bíblia, vou orar mais, vou deixar este ou aquele pecado.
    2. É necessário o propósito de deixar a situação em que estamos, mas também o propósito de voltar para o Pai.
    3. Deus mesmo aguarda que mudemos nossos propósitos, e aguarda que tomemos atitudes com relação a isto.
    4. Tiago 1.25 – “O evangelho é a lei perfeita que dá liberdade às pessoas. Se alguém examina bem essa lei e não a esquece, mas a põe em prática, Deus vai abençoar tudo o que essa pessoa fizer”.

  1. O rapaz resolveu se humilhar, sem se preocupar com as recompensas disto.
    1. 1 Pedro 5.6 – “Portanto, sejam humildes debaixo da poderosa mão de Deus para que ele os honre no tempo certo”.
    2. Humildade é a virtude de se perceber defeitos e imperfeições próprios e submeter-se às ações que possam corrigir.
    3. Ter humildade é submeter-se à correção sem esperar nada em troca.
    4. Quando o rapaz volta para casa, ele não espera nada do Pai dele. Não espera sequer ser recebido como um filho.

Conclusão

  1. O Pai aguardava no caminho.
    1. Deus nos aguarda.
    2. Ele nos quer, Ele nos ama, Ele nos espera com paciência.
    3. Separação de Deus causa sofrimento – Deus espera que tomemos atitudes.
    4. A vida sem Deus é um desperdício. É irresponsável.


  1. O que Deus espera de nós nesta noite.
    1. Humildade para reconhecer nossos pecados
    2. Arrependimento pelos propósitos errados
    3. Percepção de que nada vale o preço de estar longe de Deus
    4. Nossa vida está no Senhor